Prevenção e Gerenciamento de Crise

Modelo-01

Definição:

O termo Crise de Imagem pode ser entendida como a ruptura das condições de relacionamento efetivo ou simbólico entre uma organização e seus públicos; podem ter diferentes origens (acidentes, expressões publicadas em mídias analógicas ou digitais, catástrofes etc) e apresentam o potencial de levar pessoas e organizações a significativas perdas, de diferentes tipos – desde questões simbólicas até materiais. A crise de imagem pode levar a empresa a lucro cessante, perda de clientes e de fornecedores, de acionistas, de licenças para funcionamento etc. A gestão de crises de imagem pode ser necessária em qualquer ramo de negócios, mas em alguns se destaca de forma mais significativa por conta do potencial de envolvimento em situações de risco.

O trabalho voltado para a crise pode:

1 – Restringir-se à sua repercussão na imprensa (neste caso o maior foco é emissão de mensagens-chave, treinamento de porta-vozes, acompanhamento de entrevistas);

2 – Incluir atividades mais abrangentes, voltadas para estruturas processos internos na organização e a comunicação com outros stakeholders, além da imprensa (aqui o foco amplia-se para o controle das ações da organização envolvida através de comitês de crise e treinamentos e simulações de crise, inventário de riscos e preparação de manuais de crise indicando passo a passo para essas situações).

Atividades incluídas:

  • Planejamento estratégico e operacional da comunicação com os públicos (mídia, colaboradores, familiares, entidades, autoridades etc)
  • Integração com as áreas responsáveis da empresa para sintonizar discurso e atitudes
  • Redação de comunicados, press-releases, conteúdo para mídia social, oficios, cartas etc. para envio aos públicos envolvidos.
  • Atendimento a jornalistas, divulgação de informações estratégicas, divulgação de comunicados e gestão de entrevistas
  • Acompanhamento das entrevistas do cliente (presenciais, por telefone e on line)
  • Simulação de entrevistas
  • Preparação de Q&A (perguntas e respostas) relacionadas à crise
  • Media training, incluindo informações teóricas e sessões práticas
  • Organização de entrevistas individuais e coletivas
  • Criação e manutenção de Sala de Imprensa on line
  • Coordenação de comitê de crise
  • Treinamentos e simulações de crise
  • Mapeamento de temas sensíveis
  • Elaboração de manual de crise
  • Ações junto a stakeholders internos e externos
  • Criação e operação de war room ou sala de gerenciamento de crise
  • Mapeamento de públicos (Veja ‘Planejamento e Consultoria em Comunicação’)
  • Relacionamento com a imprensa (Veja ‘Assessoria de Imprensa’)
  • Monitoramento das matérias publicadas e análise dos resultados (Veja ‘Monitoramento da Imprensa’)

 

 

 

Fonte: Guia de Serviços e Boas Práticas em Contratação de Comunicação Corporativa ABRACOM


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s